Plural

Compartilhe:

plural substantivos adjetivos
Nota-se que o segundo elemento de todos os exemplos acima é um substantivo (relâmpago, monstro, laranja…). No entanto, nessas situações, esses termos deixam de exercer a função de substantivo e passam a funcionar adjetivos, por isso não vão para o plural.

A fora / Afora

Compartilhe:

afora a fora
A palavra “afora” pode também ser utilizada como preposição, com o mesmo sentido de “à exceção de”, “além de”. Alguns exemplos: Afora meu irmão, todos participaram da reunião. / Todos saíram após o sinal,  afora aquela mulher.  / Afora Paulo, todos os alunos tiveram boas notas.

Verbos Defectivos

Compartilhe:

verbos defectivos

  • Os exemplos acima são verbos defectivos, pois não possuem a primeira pessoa do singular (eu) do modo indicativo. Essa ausência da forma conjugada pode ocorrer também no presente do subjuntivo e no imperativo.
  • Existem várias razões para que determinados verbos sejam classificados como defectivos, entre elas estão a eufonia (som agradável) e a significação.
  • É importante ressaltar que a língua é ago variável de acordo com os falantes e pode ser adaptada a qualquer momento. O dicionário Houaiss, por exemplo, já incorporou a flexão coloquial do verbo adequar, “adéquo”, em sua gramática.
  • Outros exemplos de verbos defectivos: doer, reaver, abolir, banir, brandir, carpir, delir, explodir, ruir, exaurir, demolir, puir, delinquir, fulgir (resplandecer), feder, aturdir, bramir, esculpir, retorquir etc.

Coesão / Coerência

Compartilhe:

coesão e coerência
Os elementos coesivos  são representados pelos conectivos, os quais se manifestam por intermédio das preposições (a, de, para, com), conjunções (que, enquanto, embora, mas, porém, todavia) pronomes (ele, ela, sua, este, aquele), advérbios e locuções adverbiais (aqui, lá, logo, antes, dessa maneira, aos poucos) e palavras denotativas (afinal, inclusive, senão, apenas, então). Lembrando que palavras denotativas são aquelas que se assemelham aos advérbios, mas, de acordo com a NGB (Nomenclatura Gramatical Brasileira), não fazem parte de uma classe gramatical específica.

Verbo “haver”

Compartilhe:

verbo haver plural
Há ainda outros casos em que o verbo “haver” também vai para o plural. Veja:

  • No sentido de comportar-se, proceder, sair-se. Ex.: Elas se houveram bem nas Olimpíadas.
  • No sentido de pensar, achar conveniente, julgar: Ex.: Assim, houveram por bem dar um fim na conversa.

Terraplenagem ou terraplanagem?

Compartilhe:

terraplenagem, terraplanagem
Os dicionários (tanto portugueses como brasileiros) dizem que os dois termos são equivalentes: encher de terra os vãos de um terreno para ele ficar plano. Apesar disso, algumas pessoas afirmam que existe uma diferença entre as duas palavras, sendo que terraplanagem é só tornar um terreno plano, sem utilizar terra de outro lugar, o que acontece no caso da terraplenagem.

Uma letra pode mudar tudo!

Compartilhe:

uma letra pode mudar tudo
Todo cuidado é pouco na hora de digitar as palavras. A simples troca de uma letra pode colocar a pessoa em situações bem embaraçosas. Veja alguns exemplos: 🙂

– Vem aqui em casa amanhã?
– Não vai dar. Amanhã estou no cio.
– Melhor ainda!
– No Rio! Rio de Janeiro.

– Gostou do meu pênis?
– O quê???
– Foi mal… Gostou do meu tênis?
– Ah sim… Gostei.

– Obrigada pela pica, Felipe!
– Obrigado pelo quê????
– Pela dica!!!!! Desculpa!

– Eu também não gosto das atitudes dela. Eu gosto mesmo é de você.
– Por quê?
– Porque você é puta.
– Sou o quê????
– Desculpa… Você é pura!

– Amor, qual é a sua bunda preferida?
– Como assim?????
– Ai, digitei errado. É banda!!!!

O termo “que”

Compartilhe:

funções do termo que

Funções Morfológicas (Classe Gramatical)

  • Pronome relativo – Conversamos sobre o curso que ela vai fazer.
  • Pronome interrogativo – Que ocorreu mesmo?
  • Pronome indefinido – Que coisa estranha, isso nunca aconteceu comigo.
  • Conjunção integrante – Não acredito que você prendeu o cachorro no canil.
  • Conjunção coordenativa – Vá depressa que está quase na hora de partirmos. (porque)
  • Conjunção subordinativa – Rezo que você melhore. (para que)
  • Preposição – Temos que viajar nas férias. (de)
  • Advérbio – Que delícia esta sopa! (quão)
  • Partícula expletiva ou de realce – Quase que não conseguimos embarcar.
    Obs.: Serve apenas para realçar determinado termo. A retirada do “que” não prejudica a estrutura da oração.
  • Partícula iterativa – Oh! Que lindos que são esses cachorrinhos!
    Obs.: É quando o “que” é repetido para dar ênfase ou realce à frase.
  • Substantivo – Piqueniques têm um quê de romântico e literário.
  • Interjeição – Quê! Você vai se mudar?
    Obs.: Nesses dois últimos casos, o “quê” deve ser acentuado.

Funções Sintáticas

  • Sujeito – Os alunos que se prepararam bem foram classificados.
  • Objeto direto – Mudei para a casa que eu mesmo construí.
  • Objeto indireto – Comprei a casa a que você se referiu.
  • Adjunto adverbial – A casa em que moro é bem cuidada.
  • Complemento nominal – Este é o remédio de que tenho necessidade.
  • Predicativo do Sujeito – Ignoras o cínico que ele é.
  • Agente da passiva – Era venenosa a aranha por que você foi picado.

Morfemas

Compartilhe:


Vamos aos exemplos dos principais morfemas:

  • Radicalmadeira, madeiral, madeireiro / café, cafezal, cafeteria, cafeteira
    Obs.: Há vocábulos constituídos de apenas um radical: céu, luz.
  • Afixobilíngue, desaparecer, influência, transformação. prever (prefixos – aparecem antes do radical) / crescente, atualmente, padeiro, sozinho, voluntário (sufixos- aparecem depois do radical)
    Obs.: O prefixo e o sufixo podem aparecer ao mesmo tempo em uma palavra: empedrar
  • Desinência – pequena, áreas, índio (desinência nominal de gênero feminino, de plural e de gênero masculino, respectivamente) / falara, escreverei, estudávamos (desinência modo-temporal) / falaram, escreverei, estudávamos (desinência número-pessoal)
  • Vogal Temática – incetivar, desparecer, fingir (verbos) / escrita, noroeste, século, extinção (substantivos) / bonito, bela (adjetivos)

Resumindo: Radical / Raiz / Tema / Afixo (prefixo e sufixo) / Desinência (nominal e verbal) / Vogal Temática / Vogal de Ligação / Consoante de Ligação

Frases Interrogativas

Compartilhe:

frases interrogativas
As frases interrogativas diretas, como o próprio nome diz, são feitas pelo emissor de forma direta e o ponto de interrogação é obrigatório. Caracterizam-se por começarem com vocábulos interrogativos (por que, quem, onde, quantos). As frases interrogativas indiretas supõem a indagação, não ocorrem em forma de pergunta, mas você está claramente em busca de uma informação como resposta. Nunca começam com palavra interrogativa e terminam sempre com ponto final.