Divisões da Gramática

Compartilhe:

A língua portuguesa é cheia de regras e a melhor maneira de estudá-las é por meio de uma boa gramática. Há os que ficam indignados com tantas regras e afirmam que a língua não deveria ser escrava de tantas normas, afinal, o importante é que a comunicação seja estabelecida, não importando se as palavras foram usadas de acordo com as regras gramaticais. Penso que, se as regras existem, elas devam respeitadas, senão instala-se um caos na nossa língua. Não podemos nivelar o nosso idioma com aqueles que desconhecem a norma culta. O ideal seria que o estudo estivesse ao alcance de todos e que a língua portuguesa pudesse ser respeitada como patrimônio cultural. Valorizá-la deveria ser atitude de todo o cidadão. Ela é o nosso meio de comunicação e precisa ser tratada com respeito e não com descaso. É claro que o caminho para o bom uso da língua portuguesa é mais trabalhoso. Sabe por quê? Porque a única alternativa para darmos conta do recado é através do estudo. Sim! Estudar muito e alguns preferem não fazê-lo. Nossa língua é realmente complicada, cheia de nuances que nos impedem de parar de estudar, mas é justamente isso que a torna fascinante. Concordando ou não, a língua possui um sistema de normas, que devem ser conhecidas e aplicadas por todos. Por Céu Marques 

Vamos então entender como é feita as Divisões da Gramática?

  • Fonologia
  • Morfologia
  • Sintaxe
  • Semântica
  • Estilística

Obs.: Há alguns gramáticos que não incluem a Semântica e a Estilística nesta divisão.

  1. Fonologia– É a parte da gramática que estuda os sons da língua, sua capacidade de combinação e distinção. Ela se ocupa da função dos sons dentro da língua, os quais permitem aos falantes formar palavras e distinguir significados. Alguns aspectos que são estudados na Fonologia:
  • fonema
  • letra
  • dígrafo
  • vogais
  • sílaba
  • encontros vocálicos
  • encontros consonantais
  • separação de sílabas
  • ortoepia e prosódia

Obs.: Vale lembrar a diferença entre Fonética e Fonologia.

Fonética  estuda o aparelho fonador, cabe a ela estudar os sons da voz humana, examinando suas propriedades físicas independentemente do seu papel linguístico. Sua unidade mínima de estudo é o som da fala (o fone)

Fonologia estuda as diferenças fônicas que combinam umas com as outras para formar morfemas, palavras e frases. Sua unidade mínima de estudo é o som da língua (fonema).

  1. Morfologia– É a parte da gramática que estuda a forma das palavras e as analisa isoladamente e não dentro da frase ou período. A morfologia está agrupada em dez classes de palavras ou classes gramaticais. São elas:
  • Substantivo
  • Artigo
  • Adjetivo
  • Numeral
  • Pronome
  • Verbo
  • Advérbio
  • Preposição
  • Conjunção
  • Interjeição
  1. Sintaxe– É a parte da gramática que trata da ordem, da relação e da função das palavras na frase. Os termos relacionados à análise sintática são:
  • Sujeito e Predicado
  • Objeto Direto e Objeto Indireto
  • Verbo Transitivo Direto, Verbo Transitivo Indireto, Verbo Transitivo Direto e Indireto, Verbo Intransitivo e Verbo de Ligação
  • Predicativo do Sujeito
  • Predicativo do Objeto
  • Adjunto Adnominal
  • Complemento Nominal
  • Adjunto Adverbial
  • Agente da Passiva
  • Vocativo
  • Aposto
  1. Semântica– É a parte da gramática que estuda a interpretação do significado de uma palavra, de uma frase ou de uma expressão em um determinado contexto. Alguns assuntos que são estudados na Semântica:
  • Sinônimos
  • Antônimos
  • Polissemia
  • Homônimos
  • Parônimos
  1. Estilística– É a parte da gramática que trata das estratégias artísticas e criativas usadas na língua (principalmente as figuras de linguagem). Tais recursos têm o objetivo de sugerir, provocar, embelezar a forma e/ou o conteúdo do texto. Alguns assuntos que são estudados na Estilística:
  • Denotação e Conotação
  • Figuras de Linguagem
  • Vícios de Linguagem
  • Funções da Linguagem

Agora que você já sabe quais são as Divisões da Gramática, que tal conhecer os Tipos de Gramática?

  • Gramática Normativa – Busca a padronização da língua, estabelecendo as normas do falar e escrever corretamente. É utilizada em sala de aula e em livros didáticos.
  • Gramática Descritiva – Descreve os fatos da língua, com o objetivo de investigá-los e não de estabelecer o que é certo ou errado.
  • Gramática Histórica – Estuda a origem e a evolução histórica de uma língua.
  • Gramática Comparativa – Dedica-se ao estudo comparado de uma família de línguas. O Português, por exemplo, faz parte da Gramática Comparativa das línguas românicas.

Comentários

  1. Gislaine Américo says

    Parabéns! Pesquisando sobre gramática encontrei o seu blog que me ajudou a esclarecer algumas dúvidas, por outro lado, me fez querer pesquisar cada vez mais sobre o nosso idioma. Obrigada!

  2. Kézia says

    Achei a explicação muito clara, devido ao uso de um vocabulário simples que facilita essa compreensão! Precisava desta explicação sucinta. Muito bom! Parabéns!

    • WAGNER MENDES says

      Fiquei muito satisfeito com o que vi neste blog é de uma raridade e visão esclarecedora as divisões da Gramática ,
      embora tem que se gostar de português para começar a entender as relações e as não relações de um termo com
      o outro . Enfim parabéns pelo Blog .

  3. Junião says

    Estou grato por achar um blog que me explica a relação completa da divisão do portugues, falou de estilistica, semantica, fonética algo q é raro de se encontrar principalmente pelo fato de alguns gramáticos não relacionarem estes como parte integrante da l. portuguesa aprendi muito sobre estilistica pois eu pensava q estilistica = estética/sintaxe por nao compreender da devida forma, ocasionada por em alguns trabalho não encontrar a explicação de uma forma completa o que prejudicou o meu entedimento com esta relação. Agradecido!

  4. says

    É muito edificante e estimulante ver o trabalho realizado aqui neste blog com tamanha dedicação e preocupação em valorizar nosso idioma.
    Parabéns pelo excelente trabalho!

  5. Edna de siqueira says

    Profa. Céu, seu site e seu trabalho sempre me encantaram e sou sua fiel seguidora. Uso, inclusive, algumas de suas postagens em minhas aulas, devidamente identificadas, claro. No entanto, por mais que aprecie a beleza de nossa Língua vejo que pensar nela como patrimônio cultural a distancia de quem dela se serve. Como uma estátua enfeitando uma praça suas mais belas nuances, seus detalhes, suas minudências passam despercebidas da maioria do povo. Hoje nossa luta é pela leitura. De qualquer coisa. De tudo. Uma geração que lê muito, mas não com qualidade, que escreve muito, mas não com competência. O desafio é tornar o estuo da língua uma atividade aprazível, complementar às delícias da leitura.

  6. says

    Vocês realizam um excelente trabalho de informação, esclarecimento, orientação, complementação e melhoria em relação ao estudos dos usos e normas da língua portuguesa. Imprescindível numa época em que a língua vem sofrendo tantas modificações nos usos e tantos ataques com a adoção de anglicismos tecnológicos. Agradeço e parabenizo-os pelo heróico e caprichado trabalho que realizam.
    Com afeto e estima,
    Denilson Cordeiro

  7. says

    CONSIDERO A LÍNGUA PORTUGUESA COMO UM CORPO HUMANO, ONDE A GRAMÁTICA É O ESQUELETO, E A LITERATURA A CARNE, OU SEJA UM NÃO SE SUSTENTA SEM O OUTRO OU MELHOR É UMA SIMBIOSE. MUITO TEORIAS SÃO FALHAS QUANDO DISSASSOCIAM UMA COISA DA OUTRA… ENSINAMOS A GRAMATICA CONTEXTUALIZADAS, MAS NÃO PODEMOS FUGIR DAS REGRAS…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *