Feminino de tigre

Compartilhe:

tigre femea
A questão é polêmica. Alguns dicionários, como o Priberam, Aurélio e Houaiss, registram “tigresa” como um feminino possível para tigre. Tradicionalmente muitos dizem “tigre fêmea”. Há ainda os que defendem que o feminino “tigresa” se aplica melhor não à fêmea do tigre, mas a uma mulher excepcionalmente linda e sedutora. Resumindo: as duas formas estão corretas.

Aproveitando o espaço, vale lembrar que os substantivos epicenos são aqueles que apresentam um só gênero para o masculino e o feminino e nomeiam animais. Quando se pretende distinguir o sexo, junta-se ao substantivo as palavras macho ou fêmea. Alguns exemplos: a cobra macho, a cobra fêmea / o tubarão macho, o tubarão fêmea / o jacaré macho, o jacaré fêmea.

Além dos substantivo epicenos, há os substantivo biformes, comuns-de-dois e sobrecomuns. Veja:

Biformes – São aqueles que possuem duas formas distintas, tanto para o feminino quanto para o masculino. Alguns exemplos: o menino, a menina / o gato, a gata / o professor, a professora / o juiz, a juíza / o carneiro, a ovelha.

Comuns-de-dois –  São aqueles que possuem uma só forma para o masculino e para o feminino. Alguns exemplos: o estudante, a estudante / o fã, a fã / o cliente, a cliente / o artista, a artista / o jornalista, a jornalista / o jovem, a jovem, o chefe, a chefe / o repórter, a repórter.

Sobrecomuns – São aqueles que não possuem distinção nenhuma para designar os dois gêneros, ou seja, um único termo é usado para representá-los. Alguns exemplos: a testemunha, a criança, o indivíduo, a vítima, a pessoa, o membro.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *