Adjunto Adnominal e Complemento Nominal

Quem nunca teve dificuldade de entender a diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal? Pois é, a dúvida é mais comum do que se imagina, por isso preparei este artigo onde explicarei detalhadamente a diferença entre os dois termos.

Antes de começar,  é preciso entender que os adjuntos adnominais (AA)  e os complementos nominais (CN) referem-se apenas a nomes (substantivos, adjetivos e advérbios) e para compreender a diferença entre eles é necessário reconhecer a que termos eles se relacionam. Por exemplo:

  • Os ternos de Antônio estão amassados.

Os termos “os” e “de Antônio” são adjuntos adnominais, pois referem-se ao substantivo “ternos”.

  • Aqueles adolescentes moram perto da escola.

O termo “aquele” é adjunto adnominal (refere-se ao substantivo “adolescentes”) e o termos “da escola” é complemento nominal (refere-se ao advérbio “perto”).

  • A nota do aluno foi comemorada por todos.

Os termos “a” e “do aluno'” são adjuntos adnominais, pois referem-se ao substantivo “nota”.

A dica que dou para os meus alunos é a seguinte: quando for preciso identificar o AA e o CN em uma oração, marque, primeiramente, todos os substantivos com um S em cima de cada um deles. Em seguida, veja quais são os termos a que se referem esses substantivos. Feito isso, você já pode começar a identificar o AA e o CN.

Veja:

adjunto-adnominal-e-complemento-nominal3

Pronto! Todos os substantivos já foram assinalados. Agora é a hora de identificar os adjuntos adnominais e complementos nominais:

adjunto-adnominal-e-complemento-nominal4

Por acaso, no exemplo acima, só temos adjuntos adnominais, mas também poderia haver complemento nominal.

Vale lembrar que o adjunto adnominal pode ser representado por:

  • artigo: O menino.
  • numeral: Um animal.
  • pronome (adjetivo): Meu carro.
  • adjetivo: Menina estudiosa.
  • locução adjetiva: Amor de mãe.

E o complemento nominal pode ser representado por:

  • substantivo ou expressão substantivada: A invenção da imprensa acelerou o progresso da humanidade.
  • pronome: O resultado foi desagradável a todos.
  • numeral: A polícia iniciou a investigação aos dois.
  • oração: Foi feita a leitura que os alunos tanto queriam.

Tenha sempre por perto a seguinte tabela:

adjunto-adnominal-e-complemento-nominal2

Com relação a essa questão de valor ativo e passivo, veja alguns exemplos:

  • O amor dos pais é imprescindível.
  • O amor pelos pais é imprescindível.

Nota-se que “dos pais” e “pelos pais” completam o sentido da palavra amor. Sabemos que esse termo é um substantivo abstrato, portanto “dos pais” e “pelos pais” podem ser complemento nominal ou adjunto adnominal. É aí que surgem as maiores dúvidas. Vamos entender como funciona: Na primeira frase, os pais são agentes da ação, ou seja, eles sentem amor, temos então um AA. Na segunda frase, os pais sofrem a ação, ou seja, alguém sente amor por eles, temos então um CN.

Seguem mais alguns exemplos:

  • Pâmela tem muito amor da mãe. (AA – a mãe sente amor, é termo agente)
  • Pâmela tem muito amor à mãe. (CN – a mãe recebe a ação de amar, é termo paciente).
  • Temos a confiança dos nossos amigos. (AA – os amigos sentem confiança, é termo agente)
  • Temos confiança em nossos amigos. (CN – os amigos recebem confiança, é termo paciente).
  • Todos tinham o carinho da enfermeira. (AA – a enfermeira sente carinho, é termo agente)
  • Todos tinham carinho pela enfermeira. (CN – a enfermeira recebe carinho, é termo paciente).
  • A crítica do jornalista foi exagerada. (AA – o jornalista criticou, é termo agente)
  • A crítica ao jornalista foi exagerada. (CN – o jornalista foi criticado, é termo paciente).

Uma dica: consulte sempre que necessário a tabela que coloquei mais acima.

  1. A greve dos professores é válida.
  2. O livro de Maria está em cima  da mesa.
  3. O amor da mãe é sagrado.
  4. João mora perto da escola.
  5. A fuga do ladrão foi ousada.
  6. Aquela criança chora sem parar.
  7. Ela é igual ao pai.
  8. O receio dos especialistas é considerável.
  9. As casas de madeira são ótimas no inverno.
  10. A crítica ao professor foi correta.

Respostas:

  1. AA – Os professores fazem a greve, eles realizam a ação, é termo agente.
  2. AA –  “De Maria” relaciona-se ao livro (substantivo concreto) e indica posse.
  3. AA –  A mãe sente amor, ela realiza a ação, é termo agente.
  4. CN – “Da escola” refere-se ao advérbio “perto”.
  5. AA – O ladrão fugiu, ele realizou a ação, é termo agente.
  6. AA – “Aquela” é termo sem preposição, portanto só pode ser AA.
  7. CN – “Ao pai” relaciona-se ao adjetivo “igual”.
  8. AA – Os especialistas tiveram receio, eles realizaram a ação, é termo agente.
  9. AA – O termo “de madeira” refere-se ao substantivo concreto “casas”.
  10. CN – O professor foi criticado, ele sofreu a ação, é termo paciente.

93 Comentários

  1. Clara 4 de outubro de 2017 at 17:18

    Legal! Obrigada pela ajuda!

  2. meu name is julia 11 de agosto de 2017 at 14:32

    Pra mim não explicou direito

  3. Tayson 21 de maio de 2017 at 07:46

    Muito bom

  4. Eládio 7 de maio de 2017 at 08:04

    Chamo-me Eládio e sou professor de Português do Fundamental II (8.º e 9.º anos especificamente). Suas explicações são leves e objetivas e não poderia deixar de elogiar essa sua didática. Parabéns! Abraço.

  5. Geraldo Rodrigues 2 de maio de 2017 at 22:06

    Espetacular suas explicações, só um mestre do seu nível, pode explicar com tanta leveza e objetividade. Parabéns.

  6. Guilherme 27 de abril de 2017 at 15:17

    Me ajude entender sobre os complementos ou termos acessórios no contexto abaixo:

    <> : “me” é Obj Indireto, Adj Adverbial ou Complemento nominal?
    “em amor” tem qual função sintatica? OI, Adj. Adv ou CN?
    Achei umas citações sobre transitividade do verbo falar que o enquadrava como bitransitivo indireto, além da regência de falar ser bem variada. Achei interessante, Mas pensando na construção da sentença em questão encontrei algumas alternativas que variariam a análise sintática.

  7. Ariane 13 de abril de 2017 at 14:26

    Muito bom!

  8. Anonimo 22 de novembro de 2016 at 17:53

    Vlw. Me ajudou para a prova…

  9. STÉPHANIE cORLETTE 4 de novembro de 2016 at 12:38

    Olá. Fiquei com dúvida na 8, porque não pode ser complemento nominal se a classe gramatical de receio é adjetivo.

    • Juliana 8 de novembro de 2016 at 19:02

      Mas se a classe gramatical de RECEIO é de substantivo abstrato.Quando é substantivo abstrato é necessário ver se tem sentido ativo ou passivo.No caso de O RECEIO DOS ESPECIALISTAS, os especialistas que praticam a ação expressa, por isso tem sentido ativo e ele e classificado como adjunto adnominal

    • ARTHUR OMENA 10 de novembro de 2016 at 10:57

      Oi, Acho que é A.A também,pois na frase além de receio ser adjetivo na frase ‘Os especialistas tiveram receio’ eles estão praticando a ação e quando isso acontece é evidente que é Adjunto Adnominal…bom eu acho não sou professor nem nada, mas tenho alguns conhecimentos se eu estiver certo por favor me responda e visite meu blog em que faço alguns textos…obgd e fui…

    • vini123 11 de novembro de 2016 at 09:47

      n receio e substantivo abstrato ele precisa de alguem para existir tipo medo medo precisa de alguem para existir

    • Markus 13 de novembro de 2016 at 11:07

      É porque você só vai levar em conta o termo sublinhado.

      • generoso 22 de novembro de 2016 at 14:44

        Receio não está sublinhado, mas o termo destacado refere-se a receio. Porém, receio é um substantivo abstrato (só existe ENQUANTO alguém o tiver). Uma maneira mais fácil de diferenciar adjetivo de substantivo (que é o que muitos ficaram em dúvida) é colocar a palavra TANTO/TANTA antes (se der, será substantivo), ou TÃO (se der, será adjetivo – ou advérbio).

        TANTO RECEIO (certo).
        TÃO RECEIO (errado).

        Logo, é um substantivo, e não adjetivo.

    • Ester 17 de novembro de 2016 at 21:21

      Porque não é receio que esta grifado na frase

  10. Tatiane Cardoso 17 de outubro de 2016 at 14:15

    Obrigada por disponibilizar um excelente conteúdo!

  11. Miriam Ramos Dias 16 de outubro de 2016 at 12:56

    É como se eu estivesse vendo pela primeira vez, mas assimilei bastante aqui.
    Obrigada!
    Vou explorar o blog todo!
    Estudando para concurso público!

  12. Gabriela 13 de outubro de 2016 at 20:17

    Muito obrigada, me ajudou muito, pois não estava conseguindo entender a diferença entre um e outro e amanhã eu tenho prova com essa matéria. Só agora entendi e consegui fazer os exercícios e acertei!!! Obrigada!!!

  13. felipe Victorino 13 de outubro de 2016 at 09:53

    Olá! Bom dia!

    Tenho a seguinte Dúvida na frase: “A disponibilidade é variável com o pacote de serviços contratado(s?)”.

    Neste caso, no meu entendimento: “de serviços” exerce a função de AA. Porém fico com dúvida sobre a variação de “Contratado(s?)” – essa palavra é ligada em “o pacote” ou “de serviços”?

    Qual é a função da palavra “contratado(s?).

    Desde já muito obrigado e paranbéns pelo Blog.

    abs.,

    • EWERTON 5 de novembro de 2016 at 21:34

      Vc pode concordar o verbo “contratar” com “serviços” ou “o pacote”. É facultativo.
      Ao concordar com “serviços”-pacote de serviços contratados
      Ao concordar com “o pacote”-pacote de serviços contratado
      Em ambos os casos “contratado/s” é adjetivo.

  14. Lincoln 12 de outubro de 2016 at 22:10

    “naquela época, não se falava em crises econômicas”

    A palavra “econômicas” não deveria ser complemento nominal? Pois crises é substantivo abstrato e “econômicas” não dá sentido de posse à palavra crises.

    • Fernanda 16 de outubro de 2016 at 20:12

      Econômicas é adjunto adnominal. Só pode ser CN se houver preposição.

  15. Eduardo luca 12 de setembro de 2016 at 20:41

    Muito bom. Muito bem explicado, com uma forma fácil de entender

  16. Ana 28 de agosto de 2016 at 14:39

    No exemplo 4, em “João mora perto da escola”, “da escola” não seria adjunto adverbial?

    • dennis renan 30 de agosto de 2016 at 22:01

      não, pois perto se relaciona com o verbo, sendo um advérbio. Quando “da escola” se relaciona com advérbio é um complemento nominal.

    • Liliane Cristine Pereira de Siqueira 31 de agosto de 2016 at 17:34

      Da escola está se referindo a perto que é um adjunto adverbial de lugar. Portanto se da escola está se referindo a um advérbio signifca que ele é CN.

    • Fabio 1 de setembro de 2016 at 09:42

      Não, só pode ser AA qdo o que está ali grafado faz a ação, a escola é impossibilitada de fazer a ação, ela sofre,e aliás, escola completa o sentido de um advérbio, e nao de um substantivo, entao só pode ser CN

    • johnatan 9 de outubro de 2016 at 16:06

      não, porque o termo preposicionado ” da escola ” completa o sentido do advérbio ” perto “.

  17. Bernardobotelho 2 de agosto de 2016 at 21:38

    MUITO OBRIGADO TENHO PROVA AMANHA E TINHA ESSA DIFICULDADE DE DIFERENCIAR AA DE CN

  18. izabel 28 de julho de 2016 at 20:13

    Parabéns professora,sua explicação foi uma das melhores que li.

  19. Laysla 12 de julho de 2016 at 20:43

    eu fiquei um pouco confusa mais vi outros videos aula de outra pessoas e compreendi um pouco!!!! passar mais exercícios!!!!!!!!!!!!! me responde por favor !!!!!!!

  20. Laysla 12 de julho de 2016 at 20:41

    Gostei muito, só que podia passar mais exercícios!!!! Uma boa dica!!

  21. Figo 1 de julho de 2016 at 23:02

    Ouvir boas frases é sempre bom.

  22. Dirce 27 de junho de 2016 at 12:57

    gostei muito da sua exlpicação,agora vou entender mais distinguindo agente e paciente-obrigada

  23. Davi Colares 19 de junho de 2016 at 11:56

    Melhor explicação que já vi, continue assim professora. Obrigado.

  24. Cristiane 15 de junho de 2016 at 18:54

    gostei muito tirou minhas dúvidas

  25. GILMAR 30 de maio de 2016 at 11:05

    Muito bom tirou minhas dúvidas, obrigado!!!!

  26. Beatriz 24 de maio de 2016 at 19:20

    Me ajudou muito obrigada

  27. Francinaldo batista 19 de maio de 2016 at 16:12

    Olá, que bença me ajudou bastante!
    Ótimo de + para aprender mais umas aluas de sintática. Parabéns! Amigo!
    Grato, Francinaldo Batista+

    • vanessa sousa almeida 10 de setembro de 2016 at 22:00

      parabens!!!professora… me ajudou muito, eu estava com muita dificuldades de diferenciar AA e CN

  28. Amanda Ribeiro 18 de maio de 2016 at 08:57

    Bom dia!Tenho uma duvida em relação ao quadro diferenciando AA e de CN. Está escrito que o Adjunto Adnominal COMPLETA sentido de substantivos abstratos e concretos. Ele não acompanharia esses substantivos?

    • Brena 29 de maio de 2016 at 20:55

      Ele acompanha substantivos também,porém tanto o AA quanto CN acompanham substantivos; no entanto quando aparecer em uma frase substantivo devemos analisar se ele esta na passiva ou ativa, ou seja quando estiver sofrendo ação vai de CN e quando o substantivo estiver praticando a ação o a frase vai ser AA. Essa é uma regrinha para identificar o AA e o CN,quando aparecer um substantivo.

    • AMANDA, O ADJUNTO ADNOMINAL RELACIONA-SE COM O SUBSTANTIVO ABSTRATO E CONCRETO. ENTÃO, CABE A NÓS DIFERENCIARMOS ATRAVÉS DA ANÁLISE DE VOZ ATIVA E PASSIVA.

  29. joao 17 de maio de 2016 at 12:29

    Obrigado, me ajudou bastante para diferenciar AA e CN

  30. FreeBSD VPS 16 de maio de 2016 at 02:02

    Como dissemos na primeira diferenca , o complemento nominal se liga a adjetivos, o adjunto nao.

  31. fernanda 10 de maio de 2016 at 15:24

    Me salvou na prova. Muito obrigada!

  32. ricardo 10 de maio de 2016 at 10:15

    Primeira vez que entendo com clareza tal assunto, parabéns e obrigado!

  33. nICIA 6 de maio de 2016 at 15:44

    Só uma dúvida: nos exemplos de adjuntos adnominais, na parte do adjetivo está em itálico o “Menina” ao invés de “estudiosa”. É isso mesmo ou foi erro de digitação? (OBS: Já recomendei seu blog para meus amigos!)

    • Céu Marques 10 de maio de 2016 at 12:36

      Correção feita, Nicia! Foi realmente erro de digitação, Muito obrigada.

  34. nICIA 6 de maio de 2016 at 15:11

    AMEI! EU TB ACERTEI AS 10 QUESTÕES SOMENTE LENDO SUA EXPLICAÇÃO! OBRIGADA

  35. Tamara 29 de abril de 2016 at 16:29

    Meus parabéns, não conseguia entender de jeito nenhum e gabaritei as dez questões sem nem consultar. hahahaha

  36. Erica 24 de abril de 2016 at 14:47

    Nossa muito obrigada me ajudou bastante

  37. Pedro 17 de abril de 2016 at 10:18

    Muito bom. Continue assim. Você ajuda muitas pessoas….

  38. william 15 de abril de 2016 at 08:11

    valeu estava com uma duvida imensa sobre isso

  39. Daniel 13 de abril de 2016 at 18:25

    Obrigado Prof. Céu, agora sim eu consegui entender.

  40. Rohkea 13 de abril de 2016 at 17:24

    Uma outra explicação não muito complexa e ruim é: ad”gente” adnominal e complemento nomin”alvo”.

  41. carol 10 de abril de 2016 at 15:55

    mt bom!! adorei! recomendo mt

  42. Caio Loes 10 de abril de 2016 at 12:23

    Estou estudando isto e me ajudou muito. Muito obrigado.

  43. Giuliana Pires 9 de abril de 2016 at 13:57

    Tenho prova sobre essa matéria e este site me tirou muitas dúvidas, com certeza me ajudou muito. Parabéns pelas explicações maravilhosas e obrigada pela ajuda! Vou recomendar aos meus amigos.

  44. Maria 27 de março de 2016 at 22:49

    Parabéns, este assunto é muito complicado, é raro encontrarmos boas explicações.
    Obrigada.

  45. valdir 21 de março de 2016 at 22:57

    Muito bom……!!!!!!!

  46. patricia 21 de março de 2016 at 11:05

    Muito boa sua explicação , me ajudou bastante, espero poder encontrar nesse site assuntos sobre regência nominal e verbal, tenho muita dificuldade nesses dois assuntos. Muito obrigada pela sua grande generosidade, um abraço.

  47. Adriana 18 de março de 2016 at 05:38

    Estudo para concursos públicos há 1 ano, e de longe, português é a matéria mais complexa e difícil na minha opinião. Uma das grandes dificuldades é exatamente o assunto desta matéria: diferenças entre AA e CN. Finalmente, encontrei uma explicação didática e mais lógica do que em outros sites. Por isso, parabenizo-te, Céu!

    • Céu Marques 18 de março de 2016 at 17:05

      Quem bom, Adriana! Fico muito feliz com as suas palavras. Obrigada!

  48. Isa fERREIRA 8 de março de 2016 at 21:12

    Muito bom ! Obrigada, ajudou muito, mande mais exercícios sobre isto !

  49. Leomárcio 4 de março de 2016 at 16:31

    Há três dias eu vinha batendo cabeça com esse assunto. Com essa explicação tudo ficou mais claro. Obrigado Professora!!!

  50. Gabriel Volpato 3 de março de 2016 at 07:43

    A melhor e mais didática explicação que eu encontrei na internet até agora. Sempre que houver dúvida neste assunto, estarei de volta. Obrigado pela belíssima explicação.

  51. MArina chrasti 17 de fevereiro de 2016 at 15:03

    Muito bom! Sensacional. Merece aplausos! Muito obrigada, me ajudou muito!

  52. Elizete 29 de janeiro de 2016 at 08:47

    Excelentes explicações, porém discordo do seu exemplo de oração com função sintática de complemento, pois é iniciada por um pronome relativo, sendo portanto uma oração adjetiva e tem função de adjunto adnominal.

  53. Tabata 19 de janeiro de 2016 at 21:41

    Muito bom!!!!Fácil de entender!!!! Por favor, explicação sobre oração subordinada!!!!

  54. Aline 24 de novembro de 2015 at 10:54

    Muito bom!

  55. vERA gONÇALVES 15 de outubro de 2015 at 11:14

    Bom Dia!

    Céu Marques, muito boa a explicação e as dicas são ótimas para os estudos .

  56. Rita Almeida 11 de outubro de 2015 at 20:21

    Gostei da forma que vocês explicaram a diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal.parabéns.

  57. vERA gONÇALVES 2 de outubro de 2015 at 14:57

    Muito boa a explicação, mande mais exercícios.

    Obrigada!

  58. Leandro 10 de setembro de 2015 at 08:25

    Parabéns pelo site, ótima explicação.

  59. Susan 2 de agosto de 2015 at 16:46

    GOSTEI TANTO QUERO APRENDER MAIS!

  60. DArlene ribeiro 31 de julho de 2015 at 02:58

    Muito bacana ! Eu pretendo cursar Letras Francesa na Unifap-ap esse ano de 2016 se Deus quiser, e vejo como é trabalhoso ensinar e compreender língua portuguesa.Mas é muito lindo quando se ensina essa disciplina . Parabéns pelo trabalho.

  61. Marinice 31 de julho de 2015 at 00:02

    Sabe que muitas sabedorias dormidas no nosso cérebro sāo despertas com suas explicações. Obrigada !

  62. Ronaldo 30 de julho de 2015 at 13:08

    MUITO OBRIGADO! AJUDOU MUITO.

  63. Ricardo 30 de julho de 2015 at 08:08

    O texto bem explicado. Pena que contém um erro gravíssimo de uso do “onde”.

    • Céu Marques 30 de julho de 2015 at 13:37

      Oi, Ricardo! Vamos debater sobre o erro que você menciona? Acredito que assim o blogue se torne cada vez mais melhor. Todas as contribuições são bem-vindas. Aguardo!

  64. beny maria josé ranieri de souza 30 de julho de 2015 at 07:30

    Muito bom, ótima explicação.

  65. elaie jacelina 29 de julho de 2015 at 22:23

    Uma boa explicação.

  66. Bem Explicado, muito legal!

  67. rogerio da silva ribeiro 29 de julho de 2015 at 19:18

    Olá, boa noite ! Também sou professor de Língua portuguesa e sigo suas postagens e gostei muito da maneira como explicou as diferenças entre adjunto e complemento. Parabéns!!

  68. Anna Paula 29 de julho de 2015 at 18:31

    Tenho muitas dificuldades quando se trata de gramática. Adorei essa explicação. Voltarei mais vezes para exercitar . Obrigada pela publicação.

Deixe um comentário