crase-e-culináriaCertos pratos da nossa culinária causam dúvidas com relação ao uso da crase. O que vale entender é que, quando ocorre a crase, fica subentendido o termo “à moda de”. Por exemplo: bife à milanesa (à moda de Milão), filé à francesa (à moda da França), tutu à mineira (à moda de Minas), churrasco à gaúcha (à moda dos gaúchos), arroz à grega (à moda da Grécia), bife à Camões (à moda de Camões), espaguete à bolonhesa (à moda de Bolonha) etc. Fica claro então que os pratos filé a cavalo e frango a passarinho NÃO devem ser escritos com o acento grave indicador da crase, pois não se tratam de um bife à moda de cavalo e um frango à moda de passarinho. Dadas as explicações, ressalto que muitos estudiosos preferem simplificar e defendem o uso da crase em todos os pratos, pois, na visão deles, sempre estará implícita a ideia “à moda de”. Como o assunto é muito polêmico, acredito que ele não deveria ser cobrado em concursos, vestibulares, Enem e provas escolares.