Ainda sobre o verso de sete sílabas, desde os trovadores medievais aos modernos cantadores do Nordeste brasileiro, o heptassílabo nunca foi desprezado pelos poetas cultos, que dele se serviram por vezes em poemas de alta indagação filosófica.